sexta-feira, 19 de junho de 2009

Quanto ganham nossas importadoras?

Recebi recentemente um e-mail que dizia que uma determinada pessoa (Não sei quem, mas se algué souber e puder me falar, agradeço!) andou fazendo um levantamento de quanto as importadoras brasileiras colocam de margem em cima dos vinhos importados. O resultado, digamos, é assustador! Vou colocar abaixo os principais pontos do texto, para que possam ter noção do trabalho que foi feito por esta pessoa. Verdade ou não, é bom sabermos. Não há muito o que fazer e nem alternativas para comprarmos vinhos mais baratos, exceto quando viajamose trazemos de fora. Mas achei interessante dividir com os amigos.

Que os consumidores brasileiros pagam bem mais do que os pobres consumidores americanos pelo mesmíssimo vinho importado, não é nenhuma novidade! O que eu não sabia - e acredito que a maioria dos nossos leitores também não - é quanto se paga a mais!

O método de análise:
"Comparar os preços praticados por algumas de nossas principais importadoras de vinhos com os preços encontrados no site Wine Searcher, que lista o valor cobrado pelas lojas virtuais americanas. Foram mais de 120 vinhos consultados"

- Ecolha das importadoras das quais tinha o preço disponível, seja por catálogo, seja pela Internet; foram 13 importadoras analisadas;
- Levantamento do preço de 10 vinhos de cada uma delas;
- Foram escolhidos escolhi, sempre que possível, os vinhos de média para alta gama;
- Não foi considerado nenhum vinho dos Estados Unidos (já que queria comparar preços de vinhos importados nos dois países) e nem da França (pela dificuldade de identificar, perfeitamente, o vinho procurado);
- Para calcular o preço do mercado americano, fez-se a média dos 3 menores valores encontrados no Wine Searcher; Quando não havia 3 preços, fez-se a média dos 2 menores valores;
- Os preços do Wine Searcher não incluem os impostos, portanto acrescentou-se 6,5% (imposto nos EUA) ao preço americano.
- Só foram comparados vinhos iguais e de mesma safra;
- Ao final, fez-se uma classificação, por importadora, da diferença entre os preços aqui praticados com os preços praticados por lá. O resultado obtido me trouxe algumas confirmações e algumas gratas surpresas! Vejam a tabela abaixo.
- É bom ressaltar que a análise não empregou as técnicas estatísticas adequadas e, portanto, não representa mais do que está explicitamente apresentado: o percentual médio de divergência dos preços cobrados no Brasil com os preços cobrados nos Estados Unidos apenas para os vinhos analisados.

Wine Cellar- 50,4%
Zona Sul - 74,7%
Mistral - 111,2%
Vinci - 149,1%
Reloco -159,8%
Decanter - 170,0%
Grand Cru - 194,9%
World Wine - 209,5%
Zahil - 223,7%
Expand - 235,5%
Península - 270,2%
Terroir (c/ descontos) - 282,1%
Enoteca Fasano - 290,2%
Terroir (preço de lista) - 437,0%




CHEERS!!

2 comentários:

Alexandre (Diário de Baco) disse...

Oi André...

quem fez esse estudo foi o Oscar Daudt do site Enoeventos. Inclusive ele acabou de soltar uma atualização desse estudo. Veja aqui:

http://www.enoeventos.com.br/200902/compara3/compara3.htm

abs!
Alexandre

Jeriel disse...

André,


Parabéns por tocar nesse assunto tão delicado porque certamente muita gente sabe dos preços absurdos praticados por algumas importadoras mas para não criar suscetibilidades ou contrariar interesses (muitos tem o rabo preso)preferem silenciar...


A matéria foi publicada pela primeira vez no portal www.enoeventos.com.br, do dinâmico Oscar Daudt do Rio de Janeiro.

enoabraço

Jeriel
www.blogdojeriel.com.br