terça-feira, 25 de novembro de 2008

Nova Coluna: Vinhos e Vôos

Olá leitores do EnoDeco!
Sou Felipe Kaufmann e além de leitor do Blog sou um grande amante do vinho. Essa paixão começou quando eu, com 4 anos de idade, frequentava a adega do meu pai em Campos do Jordão já tomando bons Bordeaux e Borgonhas. Com 25 anos fui morar no Chile e lá aumentei um pouco meu conhecimento convivendo diariamente com enólogos, degustadores profissionais e o mais importante, pisando na terra e calejando as mãos. Hoje, sou o único brasileiro a ser Diplomado em Vinho Chileno, curso ministrado pela Pontifícia Universidad Catolica de Chile – Santiago – (Faculdad de Agronomia e Ingeneria Forestal, Departamento de Fruticultura y Enologia) aonde aprendi as técnicas de produção, elaboração, e degustação. Com isso acabei ficando representante das vinícolas chilenas Neyen de Apalta, Viña Catrala, Viña Alta Cima e Viña Sol y Viento para o mercado brasileiro e asiático, que aliás é aonde moro hoje. Hong Kong, aonde moro, é uma das 3 melhores captais mundiais para comércio de vinho e eu nao poderia ficar fora dessa. Aqui, acabei recentemente meu curso na WSET (Wine and Spirits Education Trust) Level 3 Advanced Certificate, a escola de vinhos mais tradicional do mundo que qualifica para o meu tão sonhado titulo de “Master of Wine”. Também, como parte do meu aprendizado, viajo de 6 a 10 vezes ao ano para países produtores com o intuito de sempre aprender e absorver o estilo dos lugares. Mas a verdade mesmo é que me sinto pelado ao ver que sempre há mais e mais o que descobrir neste mundo do vinho! E é isso que deve nos motivar a aprender cada vez mais!

Foi com enorme prazer que aceitei o convite do Déco para escrever em seu blog sobre os vinhos que podemos apreciar a 35 mil pés de altitude. Ou seja, voando de um canto para o outro em minha coluna, “Vinhos e Voos”.

E hoje começaremos com com duas boas companhias aéreas, a Swiss (4 estrelas no ranking Skytrax*) e Cathay Pacific (uma das 6 companias aéreas 5 estrelas):

Companhia: Swiss

Trecho: São Paulo / Zurique - Classe Executiva:
Uma surpresa, entre São Paulo e Zurique tinha um La Brancaia Chianti Classico 2005, estupendo e não estava na carta...
Continuam com a Champagne Jacquart Brut Mosaique, Reims

Os brancos eram:
Zurcher Riesling Silvaner 2006 Canton Zurich;
Sauvignon Blanc Neethlingshof 2006 Sul Africano;

Tintos:
Trimmis Blauburgunder Schieferwandler Originis 2006;
Clarendele AC 2003 (feito pelo Chateaux Haut-Brion);
Stellenbosch Alto Rouge 2004;

Companhia: Cathay Pacific


Trecho: Hong Kong / Sydney - Classe Economica.
Para quem gosta de wisky, tem Chivas Regal 12 anos e Johnie Walker Black Label (na executiva Gold Label e na primeira classe tem Blue Label)
Infelizmente eles servem vinhos em copos normais descartáveis, sendo 2 australianos: Robert State Commissioner’s Block Chardonnay 2005 (Branco) e Watershed Shades Syrah 2004 (Tinto).

*Skytrax (http://www.airlinequality.com/)

Ate domingo que vem!

Tim Tim,
Felipe

3 comentários:

Fabio Kauflann disse...

Parabéns ! Muito bom, curto, direto e explicativo ! Keep you with the UNIQUE experience and sharing !

JP disse...

Deco,
parabéns pela participação do Felipe Kaufmann, que como vc sabe conheci via internet qdo viajei ao Chile. O Fefê nos enviou um e-mail dele com comentários sobre Santiago, super pertinentes. Ele só não contou q nós não poderiamos levar vinhos ao hotel de Valle Nevado. Paciência, trouxe e tomei-os todos aqui. hehehe

Anônimo disse...

Muito pertinente os comentários do Felipe, pelo visto ele conhece bem, ainda mais quando representa a Vinícola Catrala na Asia, valeria a pena ele cmentar a respeito desta vinícola Boutique que cda dia se destaca mais e ainda desconhecida pelos brasileiros. Estive com o Juan Pablo Rodrigues e me diz, Sergio quero continuar com pequenas quantidades e ainda melhorar o meu Pinot Noir par o público mundial.
un abrazo, Sergio Pina